O surgimento de rachaduras no teto do Auditório Pedro Calmon, no Palácio Universitário, impõe a realização de obras urgentes de contenção, a fim de escorar a tesoura do telhado e afastar o risco de desabamento.

Assim, conforme orientação do Escritório Técnico da Universidade (ETU) em 05/05/2015, vimos, com grande tristeza, comunicar à Comunidade Universitária que o nosso Auditório Pedro Calmon estará interditado até que sejam realizadas as obras de restauração de telhados e fachadas, ficando, durante este período, cancelada a realização de qualquer evento no local. Oportunamente divulgaremos mais informações sobre a situação do Pedro Calmon e os prazos para a retomada das atividades neste tradicional e nobre espaço de eventos.

Saudações universitárias. 

Carlos Vainer

Coordenador

O grupo de trabalho da UFRJ envolvido na implantação da Rádio UFRJ FM se reuniu com as equipes de produção, jornalismo e engenharia técnica da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), na sede da Empresa, dia 5 de maio. 

NOTA OFICIAL DAS DIREÇÕES DO IFCS e IH / UFRJ

Dia 29/04/2015, ficamos todos estarrecidos com a brutalidade da ação policial do Estado do Paraná contra professoras e professores da rede pública paranaense. Professoras e professores estavam no exercício democrático de manifestação, protestando contra a mudança, que lhes será prejudicial, no regime de previdência dos servidores públicos estaduais. Diziam não à prática histórica de exigir que trabalhadores paguem as custas dos ajustes fiscais. Isso tudo às vésperas do 1º de Maio -Dia Internacional do Trabalho. Como a nos lembrar a origem histórica desta data.

A maneira como foram tratados desde o início da semana, certamente, não é a melhor forma de se lidar com tema tão candente para nossa sociedade, devendo ser repudiada. Deve haver algo muito errado em uma democracia que precisa votar projetos que impactam amplos segmentos sociais, como aqueles relativos à previdência dos trabalhadores, com parlamentos de portas fechadas, com galerias esvaziadas e cercados por Batalhões de Choque.

Nossa instituição tem historicamente formado professores para as variadas áreas e graus de ensino nas áreas de Ciências Sociais, Filosofia e História. Assim, causa-nos grande preocupação o tratamento brutal dispensado a este setor de papel central de nossa sociedade.

Não se pode aceitar a demonização, a criminalização, bem como qualquer furor repressivo contra movimentos sociais legitimamente constituídos e na luta por direitos. Neste sentido, nos solidarizamos com os professores da rede pública do Paraná e seu órgão de representação, e reafirmamos a posição histórica desta casa em defesa da democracia e de seus direitos fundamentais.

Rio de Janeiro, 30 de abril 2015

Marco Aurélio Santana (Direção IFCS-UFRJ)

Murilo Sebe Bon Meihy (Direção IH-UFRJ)

 

UFRJ Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ